“O HOMEM DO FURO NA MÃO”, DE IGNÁCIO DE LOYOLA BRANDÃO, E FICÇÃO CIENTÍFICA COMO TENDÊNCIA GENÉRICA

Ramiro Giroldo

Resumo


O ensaio trata do conto “O homem do furo na mão”, de Ignácio de Loyola Brandão, e avalia como se dá seu intento velado, configurar uma percepção negativa do momento histórico contemporâneo à escrita. Para tanto, são levadas em conta proposições de Darko Suvin e Carl Freedman acerca da ficção científica e seu potencial de cunhar analogias entre o ficcional e a realidade sensível.

Texto completo:

PDF